Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As viagens dos Vs

Mulheres nutridas, famílias felizes

As viagens dos Vs

O amor de irmãos prevalecerá sempre

31.05.17 | Vera Dias Pinheiro

Passo o dia dos irmãos com o mesmo sentimento que vivo o Natal, um aniversário, a Páscoa e qualquer outro dia do ano. Passo-o sentido-me incompleta, como se parte de mim me tivesse sido arrancada. Porque tenho uma irmã e a vida, os feitios, os problemas, o diálogo (ou a falta dele), a distância... levaram a um grande afastamento entre nós.


Mas não é por isto que este dia deixa de ser importante. Porque mesmo assim, os meus sentimentos jamais foram abalados e essa é a grandeza do amor entre irmãos. Eu sei que moverei sempre mundos e fundos para a ajudar, se ela assim o quiser, claro; sei que, acima da mágoa e de alguma tristeza, está o amor de irmãs que nos une e que nos irá unir para sempre. E quero muito acreditar que da outra parte o sentimento é igual.


A vida não tem sido fácil para nós e mesmo assim quisemos complicar um pouco mais. A certa altura foi preciso deixar ir para que cada uma de nós resolvesse os seus fantasmas (ou não). Mas não é por isso que deixei de ter irmã, que deixo de pensar nela ou que deixarei de a ajudar quando for preciso. Sei que o mundo pode acabar e nós estaremos lá uma para outra, independentemente das coisas que se poderão dizer e ouvir ou dos motivos que nos afastaram. Sei que os filhos dela recebem uma extensão mágica deste amor, o que faz com que os ame como amo os meus.


E quero acreditar que vai ser sempre assim. Quero acreditar que ter um irmão, longe ou perto, é ter um companheiro para a vida que vai estar sempre lá quando nós precisarmos. É ter alguém que mesmo que não nos aceite, nos conhece melhor do que ninguém. É ter o conforto de saber que não estamos sozinhos no mundo.


Nunca pensei em ser mãe de um só filho, porque, no fundo, eu acredito na pureza e na força da essência do amor entre irmãos Aos meus filhos desejo, porém, que o saibam preservar de uma forma diferente e nunca na distância ou no vazio. Ter um irmão e "fingir" que não temos só para evitar viver com esse sentimento de perda, custa... muito.

Feliz Dia dos Irmãos.


Boa noite


...

31.05.17 | Vera Dias Pinheiro

Estamos sempre a (re)começar qualquer coisa porque a nossa vida é realmente feita de pequenos recomeços.


Um livro que ficou a meio, as caminhadas junto ao tejo, as idas ao mercado, há sempre alguma coisa que foi deixada a meio algures no tempo e um dia nos pensamos: vou voltar a ....


Ajuda de berço | Mais sorrisos e barriguinhas mais felizes

30.05.17 | Vera Dias Pinheiro

Foi na passada quarta-feira, dia 24, que fomos até à Ajuda de Berço para, finalmente, ficarmos a conhecer os resultados do Desafio Solidário de Maio. Como já vos tinha dito, esta foi uma ideia que partiu da Carolina, responsável pela MUBU, uma plataforma solidária que, imediatamente, desafiou a Joana, a grande "mãe" do Barrigas de Amor, a juntar-se para que esta ideia se tornasse realidade.


E a ideia era simples - bastava que, em seguida, a comunidade em geral aderisse, contribuindo para esta causa. O objectivo era que fosse enviado o maior número possível de embalagens vazias de papas e leite (mais tarde, alargou-se também aos boiões) da marca Nutribén. Esta marca foi o grande apoio e suporte de tudo isso, pois ficaria a seu cargo a substituição pelas embalagens cheias.


Durante pouco mais de um mês, fomos divulgando este desafio nas redes sociais e nas várias plataformas. Imediatamente fomos sentindo o apoio e o interesse das pessoas, mas havia sempre a dúvida. Será que iríamos conseguir alcançar o objectivo a que nos tínhamos proposto: 1000 euros em produto? Não sabíamos :)


A Ajuda de Berço nasceu em 1998 e dedica-se a acolher bebés e crianças. Actualmente, são duas as casas, cada uma com um total de 20 bebés, alguns recém-nascidos, e crianças. A maioria das idades está entre os dois e os quatro anos.


Nesta Instituição, o objectivo é que todas estas crianças se sintam o mais possível como numa casa normal, por isso, existem rotinas, sem esquecer a organização, a disciplina, mas onde não faltem as brincadeiras, o colo, o mimo e o afecto. Ora, se numa casa como a nossa - sendo a grande maioria apenas com duas ou três crianças -  o caos reina e a lista de supermercado e de bens essenciais já é grande, imagine-se numa casa onde vivem 20 crianças. Só para terem uma ideia:


Por ano, são cerca de 400 chuchas e, por mês, cerca de 600 pratos de papa, 6000 fraldas e 27 000ml de soro fisiológico.

E aproveito para lembrar que esta Instituição recebe ajuda em qualquer altura do ano. Se tiverem vontade e interesse em ajudar, mensalmente, há uma lista de necessidades que vai sendo actualizada. No entanto, para além dos donativos - regulares ou pontuais - em dinheiro ou géneros, o voluntariado, permanente ou não, é outra das formas de contribuir.


No entanto, a alimentação é um bem essencial, por isso, foi fácil reconhecer nos rostos de quem nos recebeu a felicidade ao ver o resultado desta iniciativa. E tinham motivos para tal, pois o resultado superou todas as expectativas ao ultrapassar-se o valor inicialmente estimulado. No total, foram 1711,10 euros materializados em muitas embalagens cheias de leite e de papas Nutribén.


Do nosso lado, o meu, o da Carolina e o da Joana, não havia palavras, mas sim, um sentimento de gratidão enorme porque quem desse lado se juntou a nós, aceitou o desafio, contribuiu e partilhou. Na verdade, foi muito graças a vocês que tudo isto aconteceu, foram vocês que guardaram as embalagens, enviaram para a Ajuda de Berço directamente ou através de embalagens solidárias dos CTT, que se interessaram, nos escreveram e colocaram questões, que superámos as expectativas. E é tão bom sentir que pude fazer parte de tudo isto!


E agora vamos a números:


  • Embalagens VAZIAS recebidas: 185
  • Donativo NUTRIBÉN (embalagens CHEIAS): 240
 

Muito obrigada a todos do fundo do coração. Mas permitam-me que deixe aqui um agradecimento especial à seguidora que me escreveu esta mensagem:


Olá, estas estão preparadas para seguirem já na próxima sexta feira. Com muita pena minha nunca consegui amamentar em exclusivo o meu filho. Infelizmente foi um assunto que nunca ficou resolvido na minha cabeça. No entanto, guardei as latas de leite por achar que um dia podia fazer falta para algum motivo. Fico mesmo muito feliz por poder ajudar.

Entretanto, para quem quer saber o que aconteceu às latas vazias, foram guardadas para darem vida a duas árvores de Natal em Dezembro, uma para cada casa de acolhimento! :)


Obrigada mais uma vez!


Boa noite.


Temos um novo membro na família

30.05.17 | Vera Dias Pinheiro

 

O que na verdade significa que fomos completamente levados na loucura dos Hatchimals. Vocês também? E o mais engraçado é que ainda mal eu sabia o que eram exactamente - e o Vicente igual - já estávamos os dois a aguardar com muita ansiedade o nascimento do bichinho. Quem nos acompanha no Instastories sabe exactamente do que estou a falar.

 

Desde sábado passado que temos connosco o "Nâni" - foi assim que ficou baptizado - já percebemos que pertence aos Draggles e que a sua cor é (como se vê) o verde. Desde então, tem sido a loucura e o Vicente anda com o seu filho para todo o lado, já o apanhei a dar-lhe beijinhos e festinhas, sem mencionar que entrou imediatamente para a categoria dos bonecos proibidos para a irmã. Ainda assim, a Laura tem um fascínio pelo bichinho que vocês não imaginam, delira quando muda a cor dos olhos, quando interage e fala. É muito fofo observá-los, devo dizer e quando o irmão não está, eu deixo-a brincar com ele (não contem ao Vicente :) ).

 

Mas para quem não sabe do que estou a falar - e não se preocupem que isso pode ser perfeitamente normal - um Hatchimal é uma espécie de evolução moderna dos Tamagochi (que, com muita pena minha, os meus pais não me quiseram dar na altura).  Tem cinco fases de crescimento: o ovo (quando chega às crianças); o nascimento (fase em que sai do ovo); o bebé (em que precisa sobretudo de carinho e atenção); criança pequena (quando começa a aprender as primeiras palavras e a andar); e, por fim, a criança (já mais desenvolvida e com novos jogos). A forma de comunicar é através da cor do olhos, que mudam de acordo com o seu estado de espírito, por exemplo, quando estão rosa, precisa de carinho; o vermelho significa que está irritado ou triste e quando ficam roxos, é preciso dar-lhe de comer.

 

Estes bichinhos estão à venda no Toys R' Us, Continente, El Corte Inglês, FNAC e Dreamy World. Ou, então, podem levar as vossas crianças até ao Forum Sintra e visitar o Concentra Family Play.  O autor do Ovo mais original e que partilhe uma fotografia tirada no espaço ganha um Hatchimal!


O Concentra Family Play é um espaço interactivo para toda a família que se encontra dividido em quatro áreas de brincadeiras distintas:

 

 



    • Jogo da Memória XXL com a Patrulha Pata

 

    • Tiro ao alvo com os Zomlings

 

    • Jogos para a família: Cocoró e Caixote Louco

 

    • Puzzle gigante com o Shopkins



Para além disso, a loucura fica completa com a visita das mascotes da Patrulha Pata com as quais vão poder tirar um fotografia.

 

Este espaço pode ser visitado até ao dia 4 de Junho, no Praça Central do Forum Sintra, nos seguintes horários:



    • Fins-de-semana das 11h às 13h e das 14h às 19h

 

    • Se segunda a sexta feira das 16h às 20h



De referir que a idade mínima recomendada são os três anos.

 

Poderão ainda acompanhar este evento através das redes sociais do Forum Sintra: site, facebook e instagram.

 

Caso estejam a pensar o que fazer com os vossos filhos no dia da criança e gostassem realmente de um programa que os deixasse em extâse, eu não vos quero influenciar, mas o Concentra Family Play é capaz de não ser uma má ideia de todo.

 

E, no meio de tudo isto, há que dar os parabéns à Concentra, no mercado há 50 anos e continua a saber muito bem cumprir o seu papel: encontrar sempre os bonecos de maior furor e dar vida aos super-heróis que marcam cada geração.

 

*As fotografias da Laura com o Nâni foram tiradas sem o conhecimento do Vicente.... :)

 

Boa tarde.

Missão: Rosto limpo e livre de manchas

29.05.17 | Vera Dias Pinheiro

Falar de manchas no rosto, as que ganhei e que ficaram com a gravidez do Vicente, é um assunto mais que recorrente por aqui. É um assunto que ainda não ficou resolvido e que chegados a esta altura do ano, parece que regride sempre um pouco. Mas a minha luta continua e continua sobretudo por encontrar os melhores produtos, os melhores tratamentos, que resultem comigo e que de alguma forma me permitam reverter o mais possível sem pensar em tratamentos mais invasivos para o rosto.


Precisamente por ser um assunto sensível para mim, estou sempre à procura de novidades e a própria pele beneficia com alguma mudança de tempos a tempos. Mas sem esquecer que um tratamento deste género - e não só - obriga-nos a ter paciência e fazê-lo de forma certinha e continuada durante pelo menos três meses.  Não vale a pena andar a mudar mês a mês, porque dessa forma nada irá resultar.


Assim sendo, dá-se início a uma nova fase na minha rotina diária, uma nova marca e novos produtos. A motivação é sempre a mesma: a melhoria contínua da tez do rosto, uma pele mais uniforme, livre de manchas e, por conseguinte, mais bonita. Desta vez, optei por experimentar a linha de cuidados anti-manchas da EISENBERG, PURE WHITE. A marca eu já conhecia de nome, sei que é um topo de gama da Perfumes&Companhia, mas pouco conhecia para além de ter experimentado algumas amostras.


Confesso que estou com algumas expectativas, pois desta vez até acho que fiz as coisas exactamente como devem ser feitas. Ou seja, antes de iniciar este tratamento, fiz um peeling de rosto (na Sentidos) - aliás, era por aqui que deveria começar, mas explico tudo num outro post - limpei a pele em profundidade, retirei células mortas e as impurezas. Desta forma, supostamente o grau de penetração dos cremes que utilizo a seguir será muito maior.


manchas no rosto

Esta linha PURE WHITE é composta por:


  1. EXFOLIANT CRÈME DOUCEUR: Releva de imediato uma tez mais luminosa e preserva o equilíbrio hidrolipídico natural. A pele, perfeitamente regenerada, torna-se aveludada. Utilizar 3 vezes por semana quando se utiliza o Correcteur Lumière e pelo menos uma vez por semana em tratamento regular. Para ser aplicado no Rosto, este creme esfoliante é um revelador da radiância da tez e um cuidado essencial para promover o tratamento das manchas escuras.
  2. MASQUE CRÉME RELAXANT: uma máscara creme, com efeitos intensos de hidratação, anti idade e antioxidante. Reuz os sinais de fadiga, promove uma tez uniforme e incrivelmente luminosa. Para ser aplicado no rosto, pescoço e decote, usado como cuidado de noite sem ser removido, ou para uma cura de regeneração de duas semanas.
  3. CORRECTEUR LUMIÈRE: Cuidado iluminador intenso antimanchas, que aperfeiçoa  ilumina a tez. É um verdadeiro booster de luminosidade e o complemento perfeito para combater as manchas. Recomenda-se uma cura intensiva de 56 dias, de manhã e à noite se a sua pele for propensa a manchas pigmentares. Para ser aplicado no rosto, pescoço e decote totalmente ou em manchas localizadas. Resultados em apenas 3 semanas!
  4. SOIN NOURRISSANT INTÉGRAL: Acalma e regenera a pele fatigada durante o sono. É hidratante e antioxidante, e ajuda a recuperar uma tez uniforme e radiosa. É o cuidado essencial para complementar o tratamento aclarador.

O que distingue estes produtos são alguns dos seus ingredientes que os compõem: o Trio-Molecular (Enzimas para regenerar; Citoquinas para dar energia; Bioestimulinas para oxigenar), o Estrato Floral de Bellis Perennis e a Vitamina C, ambos de acção específica anti-manchas.


Eu já comecei a usar, como vos disse, mas só vou falar dos potenciais resultados que já esteja a sentir daqui a mais alguns dias. Para já, digo-vos que a textura, o cheiro e a forma como se funde na (minha) pele me estão a agradar muito. Também estou a ser rigorosa com o uso do esfoliante e da máscara, pois tanto fazia uma semana, como na seguinte me esquecia. Na verdade, depende se adormeço antes do suposto, se alguém acorda no preciso momento em que resolvo começar a tratar de mim. Vai dependendo mais deles e das rotinas do que de mim, mas eu não desisto! Garantiram-me que iria gostar dos resultados e cá estou eu para os testar e dar-vos o meu feedback.


Entretanto, pode dar-se o caso de alguma de vós já ter experimentado. Nesse caso, já agora, deixe a sua opinião. Gostamos muito da partilha de opiniões. Obrigada :)


Boa noite.


Serviço Público: Troca de Protector Solar

29.05.17 | Vera Dias Pinheiro

 

Vou seguir um pouco a inspiração do meu filho Vicente que não precisa de sol, de areia ou de água do mar para fingir que está numa praia. Basta ter vontade e imaginação e tudo à sua volta se transforma na melhor praia mesmo que o cenário real seja o chão da sala ou, então, a minha cama. E, tal como ele, eu não me vou deixar influenciar pelo mau tempo dos últimos dois dias e adiar uma informação que tenho para partilhar com vocês e que está muito relacionada com a praia.

 

Este é mais um ano em que a marca Uriage lança a sua campanha para promover a troca do nosso protector solar antigo. Ou seja, até ao dia 30 de Junho, numa farmácia aderente, é possível entregarem o vosso protector antigo e receber de imediato um desconto de 3 euros na compra de um protector solar Bariésun novo.

 

Por aqui, todos os anos se dá a limpeza dos armários e os protectores solares não são reaproveitados de um ano para o outro. Os cuidados com o sol estão cada vez mais presentes e, hoje em dia, acho que só o meu marido se vai mantendo mais resistente (ou distraído), ainda que acabe por ceder quando o lembro que é preciso voltar a pôr protector solar. O Vicente, por si, já vai tendo consciência e não se aborrece de ter que ser esfregado várias vezes ao dia. E mesmo nestes últimos dias de calor e de muito sol, não se sai à rua sem protecção.

 

De certa forma, ao contrário da minha infância e, especialmente da adolescência, acho que, hoje em dia, se encaram estas questões relativas ao sol de uma forma diferente e mais responsável. Por exemplo, não se ouve falar de protecção a baixo dos +30 e somos constantemente impactados com a necessidade de usar protector nas zonas directamente expostas ao sol durante todo o ano. E isso deixa-me um pouco mais tranquila e descansada, porque talvez esta geração venha já com uma outra postura em relação ao sol e venha, por isso, a fazer muito menos loucuras do que aquelas que eu própria fiz.

 

A gama de protectores solares da Uriage certamente que já todos conhecem ou ouviram falar. Para este ano, a grande novidade é o reforço da protecção solar pela Água Termal dos Alpes Francesas - acho que um dos grandes segredos desta marca é mesmo este. Depois, a aposta é numa evolução continua dos produtos para que se adequem aos gostos e estilos de cada um. Assim sendo, para 2017, podem contar com uma gama Bariésun com várias ofertas e transversal a toda a família:

 


 

Para os adultos, encontramos protecção sem ser preciso espalhar e de toque seco; fluidos ultra-ligeiros; produtos com formatos de bolso; e até produtos indicados para quem tem uma pele mais oleosa ou mista, com efeito MAT.

 

Para as crianças, continua-se com os habituais cuidados especiais para peles mais delicados e sensíveis. Para os babies temos a gama mineral e para os mais crescidos, a gama infantil, mais resistente à água e à areia.

 

Depois, aproveito para falar ainda dos produtos pós-solar que para mim é um cuidado tão importante quanto a protecção. Porque é essencial repor os níveis de hidratação da pele para que recupere toda a sua elasticidade e suavidade e até para que o bronzeado se prolongue durante muito mais tempo. Afinal, é algo que todos desejamos, não é? Pelo menos - pelo menos - chegar ao fim do verão com uma cor diferente do que aquela que temos agora! :)


E, por agora, é isto!

 

Espero que o fim-de-semana tenha sido bom.

 

Boa tarde.

Hoje o meu filho cresceu mais um bocadinho

28.05.17 | Vera Dias Pinheiro

Hoje o Vicente cresceu mais um bocadinho e da forma que deve ser, sem a mãe ou o pai para amparar ou proteger. Cresceu ele e eu também, pois tive que segurar o meu coração - nada imparcial - de mãe e fingir que estava tudo bem, enquanto via o Vicente a lutar para crescer logo ali, no exacto momento, tentando vencer todo o seu medo.


Hoje, durante um torneio de Judo, o primeiro que ele fez fora sua escola, o Vicente saiu por completo da sua zona de conforto e só se teve a sim mesmo para se safar. Todo o entusiasmo que ele levava consigo, foi-se perdendo à medida que percebeu que era tudo muito maior do que ele estava à espera. Havia muito mais pessoas, muitas mais crianças, mais barulho e mais confusão. Eram poucos os amigos da sua escola e estavam todos dispersos e o seu professor estava fora do tatami. E, no meio de tudo isto, viu-se um Vicente a ficar perdido e assustado, sem conseguir ter qualquer ponto de referência.


Ainda assim, ele não deixou que esses sentimentos negativos levassem a melhor e nunca desistiu e, por isso, ficou até ao fim. Conseguia entregar-se quando o seu professor falava com ele ou quando um colega seu parava junto de si. Olhava para os pais quase a pedir socorro e nós olhavámos para ele com confiança, porém com o coração apertado - ninguém gosta de ver um filho assim tão aflito, mesmo sabendo que isso faz parte do crescimento.


Por momentos, revi-me nos meus pais, no nosso próprio percurso enquanto pai e mãe e nas dificuldades que essa grande missão nos oferece. E, à medida que o meu tempo de mãe vai passando, há tanta coisa que entendo muito melhor agora e outras que começam a fazer sentido. Regra geral, é nesse momento que me lembro dos meus pais, em tantas coisas que eles me diziam e que nós só lá chegamos mais tarde - mas o engraçado é que chegamos mesmo.


Hoje, a minha vontade tinha sido a de lhe dizer para vir embora e que, afinal, ele não precisa daquela exposição e de ter aqueles sentimentos a atormentá-lo. Afinal, tem quatro anos, podia perfeitamente ter ficado em casa a brincar.... Podia se ele me tivesse dito que não queria ir ou que não gosta do judo, mas nada disso corresponde à verdade! E eu não posso deixar que o meu filho desista por medo ou por achar que não é capaz. Sobretudo, não posso deixar que o meu filho não acredite suficientemente nele. Isso jamais poderá acontecer!


Hoje o meu filho cresceu mais um bocadinho - ou terá sido um bocadão? - e eu senti que alarguei mais um pouco a corda, que o deixei ir mais um pouco no percurso do seu crescimento. Cresceu um Vicente rapazinho e uma Vera mãe, que tem que aprender a gerir estes sentimentos tramados de que os filhos crescem, que é nestes momentos que eles aprendem, que eles ganham estaleca, que espevitam... que se fazem "homens".


No final, regressamos a casa com mais uma medalha, mas esta já eu lhe expliquei que nada tem a ver com o judo. Esta medalha foi pela sua coragem em nunca ter desistido. E eu regressei a casa cheia de orgulho no meu filho pela lição que hoje aprendeu.


 

Boa noite!


Pág. 1/7